Nossos Serviços:
Mapeamento de Processos de Negócios;
Documentos de sistemas;
Desenvolvimento de novos softwares e soluções inovadoras;
Implantação e integração de sistemas;
Manutenções corretivas, adaptativas e evolutivas de softwares públicos;
Sustentação de sistemas em produção;
Help Desk – Suporte Técnico.
Benefícios:
Desenvolvimento Dirigido por Testes
Trata-se de uma prática onde o time escreve testes antes mesmo de se iniciar a programação de uma funcionalidade. Assim, quando um programador começa a escrever o código dessa funcionalidade, ele já tem uma lista de testes aos quais a funcionalidade será submetida. Isso facilita a análise e mantém o time no foco, desenvolvendo somente o que é importante e necessário. Isso porque os testes foram elaborados com base na análise e na necessidade do cliente, que é parte integrante de equipes ágeis.
Integração Contínua
É uma prática por meio da qual os times integram os seus códigos várias vezes ao dia, gerando incrementos pequenos ao produto. Quando isso é feito em um ambiente automatizado por ferramentas de controle de versão, testes e construção(build) de software, cada novo incremento é verificado automaticamente e caso algum defeito seja detectado pelos testes ou caso algum passo da construção do software falhe (uma compilação por exemplo), o desenvolvedor é notificado imediatamente, fazendo com que não se acumule erros no produto após vários incrementos em seu código-fonte.
Time mais Motivado
O XP e o Scrum favorecem as relações entre as pessoas do time de desenvolvimento, bem como entre o time e os clientes. Isso cria um cenário de pessoas motivadas e comprometidas com o resultado do trabalho, impactando positivamente na qualidade das entregas.
Produtividade e Qualidade alcançadas por uma fábrica ágil de Software
Contratar uma boa fábrica ágil de software, em vez de uma fábrica de software que desenvolve produtos com base em modelos tradicionais, pode trazer as seguintes vantagens:
Minimização de Riscos
Normalmente quando uma empresa decide contratar o desenvolvimento de um software ou de um novo módulo de um software já existente, há algumas preocupações, dentre elas a incerteza de que o software vai trazer o retorno esperado, o receio de que o software não fique pronto em tempo hábil para que se ganhe alguma vantagem competitiva, o medo de se contratar a empresa errada e o produto final não atender as necessidades.
A notícia ruim é que a fábrica ágil não elimina esses problemas. Mas por outro lado, a participação do cliente junto ao time e as entregas precoces permitirão a empresa contratante eliminar as incertezas logo nas primeiras semanas de projeto.
Se numa contratação de fábrica tradicional a primeira entrega do software normalmente não ocorre antes de 3 meses, na fábrica ágil já em 2 semanas há uma primeira versão com o que é mais importante e que já pode ser utilizada pelo cliente. Isso permite feedbacks rápidos que ajudarão a corrigir estratégias e falhas no desenvolvimento, ou até mesmo abortar o projeto dependendo dos primeiros resultados. A diferença é que em 2 semanas o gasto terá sido pouco e com isso o risco de perder dinheiro é bastante minimizado.
Maior Qualidade
Além das práticas de XP apresentadas acima, que favorecem o desenvolvimento baseado em testes, a utilização de métodos ágeis diminui sensivelmente o número de falhas graves detectadas em ambiente de produção.
Por falhas graves de software entende-se como sendo as ocorrências que impedem o cliente de utilizar o software, sendo necessária intervenção do fabricante para que seja continuada a utilização.
Isso é conseguido pelo fato de o cliente estar integrado a equipe, esclarecendo dúvidas dos desenvolvedores no momento em que elas surgem durante a escrita de código. Com o cliente presente e podendo manipular versões intermediárias, qualquer comportamento que o impeça de prosseguir em alguma rotina é detectado antes de se colocar o software em seu ambiente de produção.

Agora que nós já entendemos um pouco melhor sobre a dinâmica de uma fábrica ágil, vamos falar dos benefícios que esse tipo de empresa pode trazer para o seu negócio.
Produtividade e Qualidade alcançadas por uma fábrica ágil de Software
Contratar uma boa fábrica ágil de software, em vez de uma fábrica de software que desenvolve produtos com base em modelos tradicionais, pode trazer as seguintes vantagens:
Minimização de Riscos
Normalmente quando uma empresa decide contratar o desenvolvimento de um software ou de um novo módulo de um software já existente, há algumas preocupações, dentre elas a incerteza de que o software vai trazer o retorno esperado, o receio de que o software não fique pronto em tempo hábil para que se ganhe alguma vantagem competitiva, o medo de se contratar a empresa errada e o produto final não atender as necessidades.
A notícia ruim é que a fábrica ágil não elimina esses problemas. Mas por outro lado, a participação do cliente junto ao time e as entregas precoces permitirão a empresa contratante eliminar as incertezas logo nas primeiras semanas de projeto.
Se numa contratação de fábrica tradicional a primeira entrega do software normalmente não ocorre antes de 3 meses, na fábrica ágil já em 2 semanas há uma primeira versão com o que é mais importante e que já pode ser utilizada pelo cliente. Isso permite feedbacks rápidos que ajudarão a corrigir estratégias e falhas no desenvolvimento, ou até mesmo abortar o projeto dependendo dos primeiros resultados. A diferença é que em 2 semanas o gasto terá sido pouco e com isso o risco de perder dinheiro é bastante minimizado.
Maior Qualidade
Além das práticas de XP apresentadas acima, que favorecem o desenvolvimento baseado em testes, a utilização de métodos ágeis diminui sensivelmente o número de falhas graves detectadas em ambiente de produção.
Por falhas graves de software entende-se como sendo as ocorrências que impedem o cliente de utilizar o software, sendo necessária intervenção do fabricante para que seja continuada a utilização.
Isso é conseguido pelo fato de o cliente estar integrado a equipe, esclarecendo dúvidas dos desenvolvedores no momento em que elas surgem durante a escrita de código. Com o cliente presente e podendo manipular versões intermediárias, qualquer comportamento que o impeça de prosseguir em alguma rotina é detectado antes de se colocar o software em seu ambiente de produção.